Flerte virtual é traição real?

5053Tem gente que diz que a Internet é uma porta de entrada para a infidelidade.

Verdade ou mentira, o fato é que, em tempos de wifi, o contato entre as pessoas anda bem facilitado. Basta um clique pelo computador ou um toque no celular e pronto: unem-se corações.

Que a era digital trouxe com ela várias discussões antes impensáveis, redefinindo conceitos dentro das relações amorosas modernas, isso já não é novidade para ninguém.

Outro fato inegável é que o universo virtual também criou um novo tipo de ciúme – o ciúme do recadinho do amigo nas redes sociais, dos e-mails antigos do ex, do flerte nas salas de bate-papo e dos laços criados apenas virtualmente.

O que antes poderia ser considerado banal, hoje em dia já é motivo de término de rolo, de namoro e até de divórcio.

Mas, afinal, o que é traição?

Antes de mais nada, é preciso esclarecer conceitos.

Traição, resumidamente, é o rompimento de um acordo.

Isso quer dizer que, simplesmente, envolve a quebra de algo que foi combinado entre as partes envolvidas. E traição não precisa ser, necessariamente, sexual: ela pode ser financeira, moral e assim por diante.

Vale salientar que, o que para uma pessoa pode ser um indício de corno, para outra pode ser uma bobagem.

Tem gente que considera que olhadas mais frequentes já entram para a lista da deslealdade. Outros afirmam que, se o fato não foi consumado, então não há pulada de cerca, mesmo já tendo rolado flertes, conversinhas, olhadas e até approach direto.

Por isso o diálogo é tão importante, para que os dois tenham plena consciência do que podem ou não fazer.

Pode adicionar desconhecidos nas redes sociais? Pode admirar e elogiar alguém atraente? Pode flertar? Pode fazer sexo virtual?

São muitas as variantes, e todas devem ser discutidas.

Um bom parâmetro para definir traição é o sigilo. A pessoa que está se envolvendo com outra na net mantém o lance em segredo? Se a resposta for sim, já estamos falando de traição.

Na falta de critério, pergunte a si mesmo como se sentiria se fosse o seu namorado que estivesse mantendo relações virtuais com outros boys.

Você se incomodaria com a situação ou a aceitaria de boa – ainda que os dois jamais viessem a ter contato físico de fato?

Na internet, como no mundo real, vale a máxima do “não faça com o outro o que você não gostaria que ele fizesse com você”.

Mas eu não quero trair. Só quero me sentir desejado!

Já dizia um amigo meu: “Eu tô de dieta, mas ainda posso olhar o cardápio”.

E era bem isso que ele fazia. Não pegava ninguém, mas também não fechava os olhos para o menu de rolas à sua volta…

Tinha um contato e outro no Facebook. Trocava likes e comentários no Instagram. Dizia que, mesmo namorando, encarava como saudável se sentir atraente e desejado.

Aí mora o flerte despretensioso. Ele não é uma tentativa de traição (de acordo com os seus praticantes), apenas uma maneira de mostrar para os outros, e para si mesmo, que o namoro não castrou e que ainda se é cobiçado.

O problema é que, um belo dia, o seu boy viu uma conversinha com um cara aleatório em uma foto e ficou louco.

Não que ele pudesse acusá-lo de traição – não havia nada no acordo do casal que dissesse que era proibido conversar online com desconhecidos. Então, ninguém estava quebrando regra nenhuma.

Mas, por alguma razão, isso lhe incomodou. E muito! Virtual ou real, a verdade é que ele se sentiu traído.

Existe infidelidade virtual?

O tema é polêmico e divide opiniões entre os especialistas.

Alguns defendem que a busca por desejo virtual pode ser apenas a procura de mais emoção, de uma maneira de apimentar a mente. Nesse caso, podendo, inclusive, causar um reflexo positivo no relacionamento.

Já outros acreditam que o que denuncia a gravidade de um caso extraconjugal, seja real ou virtual, é o nível de intimidade que se atinge. E, sim, mesmo sem nunca haver o contato físico, é possível criar uma conexão profunda e sentimental pelo carinha do outro lado da tela.

Minha opinião?

Não existe nada de inocente em uma conversinha picante na internet. Enviar e receber fotos sensuais de alguém que não é aquele que dorme na outra ponta da cama tem importância, sim.

Se você realmente ama quem está do seu lado, não encare esses flertes virtuais como uma brincadeira. Eles significam que existe uma falha na relação.

Paquerar online é mais do que querer empurrar a poeira para debaixo do tapete. É enganar o outro e, principalmente, enganar a si próprio.

Às vezes, não trair alguém é trair a si mesmo. Já pensou nisso?

Além do mais, relacionamento não é uma prisão, muito menos um caminho sem volta.

Está infeliz? Está insatisfeito? Volte duas casas no game of love.

Antes um sofrimento sincero que um amor de mentiras.

Sua opinião?

 A minha eu já disse. Agora, quero ler a sua!

O que é trair para você? Flerte virtual pode ser considerado traição?

Participe da discussão e deixe a sua opinião nos comentários abaixo deste post.

Nem real, nem virtual. Não tem traição, porque também não tem namorado?

Então, que tal agora saber mais sobre como arrumar um namorado no menor tempo possível e evitar mais frustrações amorosas? 

Chegou a hora de conhecer a sua outra metade da laranja! Você pode se tornar irresistivelmente atraente para as os boys, desenvolvendo suas características e tomando as atitudes certas.

Quer  aprender como?

Te apresento o Namorado Gay em 30 Dias, primeiro programa do mercado brasileiro que ajuda você, homem gay, a – em apenas um mês – conquistar e manter um companheiro de verdade.

Clique aqui e conheça o Namorado Gay em 30 Dias.

Estão bombando também...

  • Traição virtual é traição SIM. Meu ex mandava até foto intima para a pessoa e veio dizer que “isso não é traição.”