Ghosting: por que ele parecia mega interessado, mas desapareceu do nada?

E quando você já estava quase perdendo as esperanças no amor, conheceu aquele boy mara em uma sexta à noite sem grandes expectativas. De início, pensou que seria só mais um desses candidatos a sexo casual, mas, depois de algumas saídas, se deu conta de que esse boy era diferente. Com esse, sim, rolava algo mais.

Finalmente, estava ali alguém que parecia querer relacionamento sério. Ele se mostrava sempre super interessado – muito além de uma piroca dura. Te acordava com uma mensagem de bom dia e só dormia depois de te dar boa noite. Queria te ver sempre e nem disfarçava. Fazia planos de vocês dois no futuro. Te dizia coisas lindas. Fazia você se sentir realmente especial.

Tudo ia muito bem. Tão bem que você achou que estava prestes a começar um namoro, até que, de repente… silêncio!

Ele some sem deixar rastros. Não te procura mais, não responde as suas mensagens e tem a cara de pau de nem atender as suas ligações. Tudo sem explicação alguma. Só o que você fica sabendo é que ele evaporou. Sumiu, como um fantasminha nada camarada.

Te parece familiar? Pois saiba que essa maneira digamos “pouco bacana” de ser abandonado misteriosamente já ganhou até nome!

A era do ghosting

Em tempos de Grindr e Tinder, você não toma o toco. Toma o ghosting.

A palavra “ghosting”, derivada de ghost (fantasma), significa o ato de terminar um envolvimento intenso, cortando todo e qualquer contato. Simples assim!

O termo vem ganhando popularidade nos últimos anos e, inclusive, foi eleito como uma das palavras de 2015 pelo dicionário britânico Collins.

Encerrar um relacionamento da noite para o dia não é algo raro – e nem exclusividade dos homossexuais. Mas há quem diga que as novas tecnologias tornaram essa prática ainda mais comum.

Isso porque, do mesmo jeito que conseguir sexo hoje em dia é tão banal quanto passar o dedo da direita para a esquerda, sumir da vida de alguém também nunca foi tão fácil. Basta apertar os botões “bloquear”, “excluir”, “desafazer amizade” e pronto. Página virada!

Descaso ou covardia?

E a pergunta que não quer calar é: por que raios sair à francesa? Como diabos alguém muda de ideia assim de uma hora para a outra?

Bom, sejamos realistas aqui: o ghosting só existe porque as pessoas têm uma forte tendência a fugir dos problemas.

Sim, tem gente que perde mesmo o interesse e tem quem pula fora porque já está ciscando em outro edi.

Mas tem também os que estão com medo de se apaixonar e até aqueles que já foram “vítimas” do ghosting e passaram a adotar o mesmo comportamento: somem da vida de outros parceiros com medo que eles o façam primeiro, assim evitam serem magoados novamente.

Além do mais, é bem mais fácil seguir em frente e deixar o tempo esfriar o que ficou para trás. É também mais fácil evitar a conversa embaraçosa de dizer a alguém que você não quer ficar junto.

É mais fácil, não mais honesto.

Explicações podem até existir muitas, mas não justificativas.

A importância de dizer adeus

Pesquisando sobre o ghosting, dei de cara com uma comparação que achei bem interessante: sumir inesperadamente é como levar uma pessoa pela mão até um túnel escuro, que ela desconhece. Aí, do nada, soltar a sua mão e deixa-la lá, sozinha.

Entendem a moral da metáfora? Para quem conhece o lugar, sair dele é fácil. Para quem está ali pela primeira vez, no escuro, é desesperador: tem que bater muito a cabeça até conseguir achar a saída!

Pois então, ser deixado do nada é isso. A sensação é de estar perdido, sem saber para onde ir. É repentino, é impessoal, é meio covarde e é até cruel.

Como se já não bastasse ficar extremamente confuso e com várias perguntas sem respostas, quem leva um pé na bunda dessa maneira muitas vezes acaba se culpando pelo término do relacionamento. Pensando que, claro, só pode ter feito algo muito errado para isso acontecer.

E não para por aí. As consequências de tomar o ghosting podem ser bem graves. Eu falo sério. Términos abruptos e sem explicações geram baixa autoestima, depressão e até dificuldades em se relacionar novamente, por insegurança e medo.

O que eu vejo hoje é que muitos gays já estão tão preparados para a hora que o boy vai deixar de gostar repentinamente que nem fazem mais questão de “segurar a corda”. Como se segurar a corda fosse o mesmo que se machucar no final.

Claro que ninguém é obrigado a amar ninguém, muito menos a ficar com alguém contra a vontade.  Mas existe, ou deveria existir, uma regra básica em qualquer tipo de relação: o respeito.

Por mais insuportável que seja o boy com quem você está (ou estava) saindo, entenda que você não pode se livrar dele como se fosse um descarte.

Lidar com o fim de um relacionamento nunca é fácil, mas é preciso enfrentar essa barra, mana! Terminar é dar um desfecho. É fechar uma porta ou, às vezes, não precisa nem fechar. Voce pode deixá-la aberta para uma amizade, por que não?

Mas, acima de tudo, terminar é colocar um ponto final para que todas as partes possam recomeçar.

Atenção, ghosted!

Se você foi deixado no túnel escuro repentinamente e sem razão, o problema não está em você.

Você amou, se dedicou, deu o melhor de si. Se não recebeu nenhuma explicação para ter sido colocado nessa situação sufocante, os motivos são exclusivamente de quem te colocou aí.

Lembre-se de que ficar no escuro também fortalece: nos faz crescer tanto que não precisamos mais esperar que acendam a luz. Temos autonomia para levantar, sair e nunca mais voltar pra lá.

Entretanto, quem nos deixou naquele túnel sempre vai passar pela saída e se perguntar se ainda estamos ali, o que estamos fazendo, como nos sentimos, no que pensamos e como sobrevivemos. Essa é uma porta que só prende quem fica do lado de fora.

No fim, tudo é bagagem!

6 sinais de que você vai tomar o ghosting

Infelizmente, é bem difícil se proteger do ghosting. Afinal, todos estamos sujeitos a quebrar a cara em algum momento. Assim é a vida, assim é o game do amor. Às vezes se perde, às vezes se ganha…

Mas é possível, sim, identificar alguns sinais de que o toco sem aviso prévio está próximo. São eles:

#1. Ele parece MUITO entusiasmado logo de cara;
#2. O interesse dele no seu pacote é maior do que no kit completo;
#3. Ele nunca faz perguntas sobre sua vida e não faz questão de saber as suas preferências;
#4. Lugares públicos são sempre evitados;
#5. Todos os encontros têm motivo sexual;
#6. Apresentar você aos amigos nunca pareceu ser uma opção;

Cansado de tomar o ghosting?

Então, que tal agora saber mais sobre como arrumar um namorado no menor tempo possível e evitar mais frustrações amorosas? 

Chegou a hora de conhecer a sua outra metade da laranja! Você pode se tornar irresistivelmente atraente para as os boys, desenvolvendo suas características e tomando as atitudes certas.

Quer  aprender como?

Te apresento o Namorado Gay em 30 Dias, primeiro programa do mercado brasileiro que ajuda você, homem gay, a – em apenas um mês – conquistar e manter um companheiro de verdade.

Clique aqui e conheça o Namorado Gay em 30 Dias.

Estão bombando também...

  • Mario

    Fui vítima, e nem sabia que já existia uma palavra pra isso…

    • Quem nunca, Mario… E algumas vezes nem tive algumas das 6 pistas ancoradas aqui no texto.

      • Quem nunca, não é? Eu mesma também já tomei o ghosting algumas vezes nessa vida. hehe.

  • Gutto

    Nossa, já aconteceu isso comigo, bateu até uma deprê agora…

    • Faz parte, Gutto. Deixe de lado a deprê: no fim tudo é bagagem!

  • Daniel Fernandes

    Eu tinha outro termo pra isso, eu chamava quem fazia isso de “Curupira”, pois o Curupira com sua astúcia e seus pés ao contrário leva os caçadores pra dentro da floresta e os deixa perdidos lá dentro sem saber como sair.

  • Raphael Dias

    Passei por isso recentemente, o mais incrível é a semelhança entre meu sentimento nesse período e as palavras usadas nesse artigo, o fato da pessoa parecer mto “interessada” eu disse e até mesmo questão de me sentir sufocado por essa confusão de sentimentos. Pelo visto essa semelhança nada mais é q um padrão q se repete…ninguém sai da vida sem ser fudido pelo menos uma vez. ><

    • Tudo é bagagem, Raphael! SIga de cabeça erguida porque coisas melhores virão por aí 🙂

    • Cris Tuxê

      “ninguém sai da vida sem ser fudido pelo menos uma vez.” Tá aí uma verdade. Ninguém mesmo.

  • Gustavo Santos Lima

    Tô numa situação parecida. Mas a pessoa não deixa nada claro… Um hora parece super interessada, inclusive faz planos, no outro dia some.. Não da um bom dia nem nada… Em fim… Isso é muito chato

  • Rafael Morinel

    Estava saindo com um rapaz, bem mais velho que eu, e realmente tenho preferencia por este tipo, ja nos conheciamos a quase 2 meses, a gente nem transou nem nada, e eu tambem não queria isso de cara, saiamos pra tomar um café e conversar, no primeiro encontro ao nos despedirmos até me deu um selinho, depois saimos mais umas duas ou tres vezes, na ultima chamei ele pra ir ao cinena, ele disse que iriamo, porem quando falamos por mensagem ele deu uma desculpa esfarrapada e pronto. Nunca mais mandou mensagem nem nada, nem ligou, acho que foi pq perguntei pra ele da ultima vez se ele pensava em namorar, ele disse que não, daí nunca mais. Acho que o erro foi esse, agora quem se fudeu fui eu aqui, não sei se procuro ele ou se espero ele me procurar.