Meu namorado não quer ser passivo. O que fazer?

meu-namorado-nao-quer-ser-passivoEm início de relacionamento tudo são flores, verdade? Ele desde o princípio disse ser um ativo convicto, mesmo assim, foi amor à primeira transa. Às vezes até batia aquela vontade de comer um rabo, mas era tudo tão bom que você nem ligava.

Só que o tempo foi passando e a euforia da paixão foi dando lugar a um desejo incontrolável de voltar a ser versátil como antes… Como num passe de mágica, a ideia de limitar a sua vida sexual a uma mesma posição acabou se tornando sufocante.

Eu já não sei o que fazer porque eu não aguento mais ser só passivo…

Eu ate já mostrei meu desejo de ser ativo, mas ele reclama. 

Não quero terminar com ele, gosto dele, o problema é que eu cansei de ser sempre o passivo… O que faço?

Sempre que conversamos sobre isso é motivo de briga, e eu estou cansado, não quero perdê-lo, mas também não quero para sempre ser o passivo. Me ajuda!

Até perdi as contas de quantos e-mails já recebi de leitores com o mesmo problema: “quero muito ser ativo, mas meu namorado se recusa a ser passivo”.

Alguns diriam: “levante as mãos para o céu. Boy 100% ativo é raridade hoje em dia.” Mas a verdade é que só quem está nessa situação sabe o quão complicado pode ser sair dela.

Se na sua casa a porta de trás também continua fechada – e sem previsão de inauguração – , leia este artigo com bastante atenção.

Resumidamente, o seu namorado pode representar um dos 3 casos:

#1. Ele gostaria de ser passivo no fundo, mas acha que assim vai ferir a sua masculinidade

Seja por vergonha ou por preconceito (próprio), muitos gays potencialmente passivos acabam jogando na outra posição. Isso porque acreditam que aceitar a dominação durante a relação sexual é o mesmo que botar em cheque a masculinidade, tão preciosa para alguns.

Sim, tem muito ativão por aí que faz a linha touro penetrador, mas, bem lá no fundo, sonha em ser dominado.

E o que acontece? Levam uma vida de prazeres limitados, não se permitindo ser quem realmente são entre quatro paredes.

É triste constatar que o comportamento de dar a bunda virou sinônimo de colocar o outro como um ser de segunda classe, tal qual os machistas fazem com as mulheres e tudo que represente o feminino.

A questão é profunda, e possui significados psicológicos igualmente profundos. Os só ativos podem estar não apenas reproduzindo de forma inconsciente um padrão heterossexual estereotipado, mas também perdendo a oportunidade de explorar e descobrir outras formas de amar e ser amado.

Se notar que essa é a situação do seu namorado, procure algum motivo ou constatação de que ele tem esse preconceito e tente mostrá-lo que ele pode, sim, ter experiências novas sem medo.

Ele já deve saber, mas também não custa reforçar durante essa conversa que a região anal é uma zona altamente erógena para o homem. Ou seja, por que limitar-se a apenas 50% de prazer, sendo só o ativo?

Além do mais, por que um rótulo de passivo incomoda tanto, se um depende do outro pra existir? Se não tiver quem dê, não tem quem coma, certo?

Esse, na realidade, é um problema que vai muito além do sexo. A homofobia enraizada tem origem lá na infância e impacta negativamente todas as áreas da vida.

Se for preciso, busquem ajuda psicológica.

#2. Ele tem medo de tentar, por isso se recusa

Primeira vez como passivo pode dar medo mesmo, não vamos julgar. Quem não agarrou forte o travesseiro quando liberou o brioco for the very first time, que atire a primeira pedra.

Um ativo que está acostumado a ser somente ativo, automaticamente, começa a entender que apenas essa forma é prazerosa, e as demais desnecessárias.

O comportamento de penetrar já foi tão repetido e validado que a atividade passiva passou a ser vista como negativa em função da dor e da necessidade de relaxamento. Na cabeça dele, funciona mais ou menos assim “para que mexer em time que está ganhando”.

Acha que esse é o caso do seu boy? Então, será necessário dar aquela forcinha para deixá-lo à vontade e receptivo. Vamos lá, você pode!

Durante o sexo, utilize todo tipo de linguagem corporal para demostrar o seu desejo. Use a mão boba, puxe o corpo dele para o seu, segurando-o pela bunda!

Deixe claro que é o rabo que você quer. Tenha atitude! Toque com vontade o ânus do seu boy!

Uma das melhores formas de se aproximar da área traseira é através do sexo oral. Faça tudo normalmente, brinque com a piroca, chupe-a, e quando notar que ele tá ficando doido, leve a pegação para outro nível.

Desça a boca, comece a lamber mais pra baixo e veja a reação dele. Dificilmente ele vai resistir a uma lambida lá atrás… Não há nada melhor para relaxar o cu de um boy do que um beijo grego, pode confiar!

Se ele resistir, continue tentando outras vezes até ele ceder e deixar você continuar. Quando ele já estiver acostumado, ou pedindo para você repetir a brincadeira, é hora de apimentar ainda mais o babado com um fio terra.

Passe o dedo, de leve, sem forçar. Deixe ele relaxado. Cedo ou tarde ele vai pirar com o fio terra e, quando você menos esperar, vai pedir para, finalmente, ser penetrado.

Leia também:
[Primeira vez como passivo: Aprenda como se preparar]

#3. Ele, definitivamente, não sente tesão em ser passivo

Ele já tentou, mas a experiência só serviu para provar que dar a bunda, definitivamente, não é a sua praia?

Bom, nesse caso não adianta forçar. Tem gente que não curte mesmo, e não há nada de errado nisso. O que seria do preto se todos gostassem do rosa, não é verdade?

Contudo, ao mesmo tempo que ele não é obrigado a fazer algo que não tem vontade, você também está no seu direito de expor o seu desejo.

Até porque ele está sendo bem servido no quesito sexual, você nem tanto… E você tem necessidade de sentir prazer, tanto quanto ele. Não é justo que em uma relação apenas uma parte seja privilegiada.

Meu conselho? Uma boa e verdadeira conversa. Ele é seu namorado, né? Não tem porque se sentir intimidado.

Fale tudo o que você sente. Fale das suas necessidades. Se ele não der atenção ou brigar, bem daí é sinal de que ele não se importa tanto assim com você…

Se ele te ama de verdade, vai fazer algo para te fazer feliz. Nem que seja um boquete ou uma boa punheta enquanto te penetra…

Afinal de contas, sexo não é feito só de penetração. Há quem diga, inclusive, que o sexo bom mesmo nem precisa dela (já ouviu falar do gouinage?).

De repente, no melhor dos cenários, ele descobre que, esporadicamente, pode ser passivo, sim. Porque dar prazer a você é o que lhe dá prazer. Quem sabe…

Além do mais, existem vários brinquedinhos (vibradores, pau de borracha e etc) que podem ajudar. É sempre possível explorar métodos criativos para apimentar o sexo.

C.E.D.E.R

Essa é a palavra-chave. Seja do seu lado, seja do dele, vocês apenas chegarão em um consenso quando os dois olharem além do próprio umbigo.

Um relacionamento é feito de dar e receber. Talvez, aos poucos, através da confiança e persistência (sua), ele acabe cedendo para te ver feliz e realizado. Ou acabe encontrando outras maneiras de te realizar…

De todas as formas, o conciliador de vocês deve ser sempre o amor que cresce e a vontade de continuarem juntos.

Não tem jeito… ele não cede?

Depois de muita conversa e tentativa, seu boy continua recusando ser passivo? E também pouco faz para encontrar outras formas de te dar prazer? Você já não sabe como aguentar essa barra? Falta amor para tanto sofrimento?

Então, acho que é hora de virar essa página e escrever novas histórias…

Que tal agora saber mais sobre como arrumar um novo namorado no menor tempo possível e evitar mais frustrações amorosas? 

Você pode se tornar irresistivelmente atraente para as os boys, desenvolvendo suas características e tomando as atitudes certas.

Quer  aprender como?

Te apresento o Namorado Gay em 30 Dias, primeiro programa do mercado brasileiro que ajuda você, homem gay, a conquistar e manter um companheiro de verdade em apenas um mês.

Clique aqui e conheça o Namorado Gay em 30 Dias.

Estão bombando também...