Os 7 erros que podem acabar com um relacionamento gay

Se conquistar alguém requer habilidade, manter uma relação em harmonia nem se fala. Não pense que só porque vocês estão juntos o tesão e o amor serão eternos. Doce ilusão, darling!

Quem dera os relacionamentos da vida real fossem tão descomplicados quanto os dos filmes de comédia romântica. Sim, porque os personagens fictícios podem até sofrer para conseguir ficar juntos, mas depois que conseguem… o filme acaba e ninguém fica sabendo como é difícil conservar a chama da paixão acesa.

Você já deve ter percebido que a maioria dos namoros começa muito bem, com grande energia, motivação e amor. O que acontece, então, no meio do caminho para que, por vezes, eles se tornem tão destrutivos, ao ponto tornarem os casais completamente infelizes?

Confira a lista dos 7 erros mais comuns em relacionamentos gays:

#1. O relacionamento aberto

relacionamento-aberto-gayPara começar, o mais polêmico deles.

Primeiro, esclareçamos a definição: ter um relacionamento aberto não significa sair por aí pegando todo mundo de maneira desenfreada, mas sim estar disponível para conhecer, beijar e, quem sabe, até transar com outras pessoas interessantes.

Nesse caso, não há traição, uma vez que é algo pré acordado entre o casal. Um ama o outro, mas desejam ter outras paixões fora do namoro, que supostamente teriam um prazo curto e jamais atrapalhariam a relação. Ok, entendido.

Ou, nem tanto… Se na teoria já parece complicado, na prática é mais difícil ainda!

Será que é mesmo possível amar tanto um boy a ponto de querer que ele viva outras paixões, conheça novas pessoas e depois volte para os seus braços na certeza de que ninguém é mais importante para ele do que você?

Para alguns casais extremamente seguros, que estabelecem regras e botam as cartas na mesa, pode até funcionar. Mas, se esse não é o seu caso, melhor desistir da ideia …

Você e seu parceiro correm o risco de se apaixonar por outra pessoa, ele pode ter mais química com o outro do que com você e daí já sabe qual o final da história, não é? Alguém acabará chupando os dedos.

Às vezes, quando uma relação não funciona mais, é hora de partir para próxima. Não recicle algo que você não quer usar mais com a justificativa da relação aberta.

#2. A carência

gay-carencia-relacionamentoUm erro muito comum para os homens gays é se apegar demais e muito rápido.

Não é culpa do seu parceiro que você sofreu no passado com outros caras ou com a sua família, e também não é obrigação dele catar seus cacos emocionais.

Não tem nada de errado em amar intensamente, mas um gay tem que aprender a sempre manter a própria voz, a própria identidade e, acima de tudo, a própria vida. Se você gruda demais no namorado, corre sérios riscos de afastá-lo.

#3. As brigas

gay-casal-brigaTudo bem que não existe relacionamento perfeito e que, cedo ou tarde, todos nós discutimos e discordamos por algum motivo. Nada mais natural, já que estamos falando de duas pessoas diferentes, com pensamentos e vontades também diferentes. E vamos combinar que uma briguinha às vezes até faz bem, nem que seja para que depois role aquele bom sexo de reconciliação.

Agora, saiba que brigar sobre tudo e todo tempo é um veneno.

Por isso, não use mais a desculpa de ser “forte” e “independente” para ganhar uma briga. Respeite os seus limites, o seu espaço e as suas opiniões.

Ele pode não dizer tudo que você gostaria de ouvir, mas aprenda a escutar e a ser compreensivo. Afinal, você que o escolheu, certo?

Cuidado para não dizer algo que você possa se arrepender depois. Ás vezes as palavras causam mais dano do que você imagina, e dizer algo no calor da discussão poderá fazer você perder alguém que ama.

Mas atenção: se brigar por qualquer coisinha é a fórmula para acabar um namoro, deixar de discutir por medo da relação acabar também é. Caso você ache que o seu relacionamento é tão frágil que não consegue aguentar uma desavença, talvez seja melhor reconsiderar estar junto.

E, não menos importante: NUNCA, MAS NUNCA DISCUTA POR MENSAGEM DE TEXTO.

E-mail, messenger, whatsapp, ou seja o que for, é o pior de dois mundos.  Isso porque você tem a velocidade que precisa para responder com a cabeça quente, e, depois, o tempo que quiser para reler o texto mil vezes no trecho que mais dói.

Quer brigar? Brigue ao vivo.

#4. O comodismo por conveniência

relacionamento-gay-convenienciaNão há problema algum em morar junto com o namorado, compartilhar o dinheiro ou ter uma conta conjunta. Mas existe uma linha tênue entre compartilhar e pegar mais do que ele se dispõe a dar.

Jamais entre num relacionamento porque você precisa de estabilidade e ele é sua rede de segurança. Aprenda a trabalhar para se manter, ganhe seu próprio dinheiro e mantenha suas próprias coisas.

Acredite, não há nada pior que passar por uma separação e acabar na rua porque tudo pertence ao outro. Esteja com alguém porque você o ama, não porque ele pode oferecer um nível de vida mais alto.

O contrário também vale: tenha certeza de que ele realmente está desfrutando da sua companhia, e não apenas fazendo uso da sua carteira. Se começar a notar que ele espera que você pague tudo, seu cartão de crédito e seu coração podem estar em sérios apuros.

#5. As baladas juntos

festa-gayMuitos podem discordar, mas provavelmente esse é o erro que os gays cometem com mais frequência.

Balada não é o lugar para curtir o namorado. Apesar de parecerem divertidas e inocentes, as danceterias envolvem álcool e um monte de caras gostosos (dependendo em que clube você vai). E você pode até dizer que só tem olhos para ele, e ele só tem para você, mas lá há gente demais que chama a atenção e muitos homens que não tem medo de pegar pesado no flerte.

Pode até rolar aquela postura de desafiar a autoconfiança, de que se o namorado é paquerado, o prazer está em ele “ser seu”. Mas com o tempo, situações de flertes para a autoafirmação vão cansando e desgastando.

Prefira bares e situações com menos “tensão sexual”. É natural qualquer casal dar uma sossegada.

#6. O ciúme

gay-ciumes-relacionamentoVocê é o namorado dele, não seu dono. Um erro grave que um gay pode cometer é achar que pode controlar o namorado.

Um pouco de ciúmes é normal e até faz bem para a relação. Dá aquela apimentada. Agora, brigar cada vez que ele fala com outro homem já é algo meio maníaco.

Se você acha que não sente confiança em seu parceiro quando ele está sozinho com os amigos, ele não serve para você. Simples assim. Um bom namorado deveria deixar você seguro e nunca agir de maneira diferente porque você não está por perto.

Aprenda a confiar e a cuidar da própria vida. Algumas coisas vocês podem fazer juntos, e outras separados.

#7. A distância dos seus amigos

grupo-amigos-gaysPor fim, nunca caia no erro de deixar os próprios amigos de lado e conviver apenas no círculo de amizades do namorado.

Os amigos dele podem ser superlegais, podem te tratar com muito carinho, mas, se uma separação acontecer, dificilmente continuarão falando com você.

Por isso, preserve sempre os seus. Lembre-se de que amores vão e vem, mas os amigos de verdade ficam.

Você está solteiro?

Agora, se você é solteiro e está pensando que merda de artigo! nem boy tenho ainda para terminar relacionamento…”, já imaginou se alguém dissesse que é possível encontrar um namorado gay em 30 dias?

Pois é…

Preciso dizer para você que, sim, você pode estar namorando mês que vem.

Então, que tal agora saber mais sobre como arrumar um namorado no menor tempo possível e evitar mais frustrações amorosas? 

Quer  aprender como?

Te apresento o Namorando em 30 Dias, primeiro programa do mercado brasileiro que ajuda você, homem gay, a conquistar e manter um companheiro de verdade em apenas um mês.

Clique aqui e conheça o Namorando em 30 Dias.

Estão bombando também...

  • Rogerio

    Muito bom! Concordo com todos!

  • Leonardo Soares

    Discordo totalmente, mente ultrapassada.