Os opostos se atraem: verdade ou mentira?

boy-certo-gayUm é calmaria, o outro furacão. Um é paciente, o outro louco do tarja preta. Um gosta de ficar na zona de conforto, o outro quer se desafiar diariamente. Um gosta de agradar a todos, o outro não dá a mínima para a aprovação de ninguém. Um tem medo de conflitos, o outro é conhecido por nunca perder um.

“E, mesmo com tudo diferente, veio mesmo, de repente, uma vontade de se ver. E os dois se encontravam todo dia. E a vontade crescia, como tinha de ser…”

Perfeito – Renato Russo que o diga! Os dois são opostos. E reza a lenda que os opostos se atraem. Certo?

Sim e não.

Por que sim:

you-complete-me-dc325Segundo especialistas, sim é verdade que, mesmo que inconscientemente, as pessoas buscam no parceiro características que as completam. Buscam no outro as referências que não encontram nelas mesmas.

É como num quebra cabeça: peças iguais não se encaixam.

Só que daí o tempo passa e esse encaixe perfeito parece nunca acontecer. Era para ser a outra metade da laranja, mas, se espremer, não faz um suco…

Secretamente todos nós temos o desejo de viver uma paixão. Todos temos curiosidade de explorar o desconhecido, de viver uma intriga – por mais que nos custe admitir.

No início do relacionamento saímos por aí dizendo que “os opostos se atraem”. Depois de um tempo, quando a relação termina, justificamos com: “nós éramos muito diferentes”.

Por que não:

Sim, os opostos se atraem, mas – na maioria das vezes – os que dão certo como casal são os semelhantes. Não me refiro às semelhanças valorizadas pela comunidade gay, como ter a mesma preferência sexual e a mesma boa forma física. Me refiro a uma semelhança emocional. A uma conexão intelectual e afetiva.

Ou pelo menos é o que nos dizem algumas dezenas de estudos científicos:
É mais provável que permaneçamos atraídos por pessoas que compartilham interesses, atitudes ou traços de personalidade semelhantes aos nossos.

Observe os seus melhores amigos e as pessoas com quem você se relaciona. Provavelmente, a maioria delas possui as mesmas preferências que você, ou seja, vocês são parecidos.

Pense comigo: todos nós precisamos de algumas atitudes para nos sentirmos bem, confortáveis, seguros e felizes.

Mas felicidade é um conceito relativo. O que é felicidade para um, não é, necessariamente, para o outro. Cada um tem a sua própria definição de felicidade, de sucesso, de amor, de relacionamento.

Começa, então, a missão impossível de um querer mudar o outro. O boy quer te moldar te acordo com o seu modo de ser, e você deseja que ele pense como você pensa. Acima de tudo, deseja que ele seja feliz com o que te faz feliz.

O problema é que todas as suas tentativas são em vão. Não adianta. Ele não é assim. Ele não vai mudar.

E daí, miga, volta a dúvida: cadê metade da laranja?

Quem é romântico não se sentirá saciado ao lado de alguém que não curte externar muito o que sente. E quem não curte se declarar, pode se sentir sufocado por quem exige demonstrações constantes de carinho.

Se alguém é muito caseiro, provavelmente, vai se incomodar com um parceiro muito baladeiro. E o baladeiro vai achar tedioso estar com alguém que prefere passar a noite de um sabadão em casa batendo uma pizza.

Claro que também é necessário fazer concessões. Mas, se dois homens são muito diferentes, elas poderão ficar cansativas depois de um tempo. E, a longo prazo, pode ser que um dos parceiros não queira mais abdicar das suas vontades para agradar o namorado.

O “kit básico” do relacionamento

Contudo, vale salientar que ser diferente não é sinônimo de ser incompatível.

Eu diria que, para que um relacionamento dê certo, é preciso haver um “kit básico”.

Esse “kit” é composto, principalmente, por valores, prioridades e objetivos de vida comuns. Se os dois coincidirem nesses pontos, uma relação já é ao menos possível, ainda que existam diferenças.

Diferente todo mundo é.

Se ele nem sempre enxerga as mesmas coisas que você vê, isso não importa. O que importa mesmo é que vocês olhem juntos na mesma direção.

Leia também:
[7 sinais de que você encontrou o boy certo]

A propósito, você está solteiro?

Então, que tal agora saber mais sobre como arrumar um namorado no menor tempo possível e evitar mais frustrações amorosas? 

Chegou a hora de conhecer a sua outra metade da laranja! Você pode se tornar irresistivelmente atraente para as os boys, desenvolvendo suas características e tomando as atitudes certas.

Quer  aprender como?

Te apresento o Namorado Gay em 30 Dias, primeiro programa do mercado brasileiro que ajuda você, homem gay, a – em apenas um mês – conquistar e manter um companheiro de verdade.

Clique aqui e conheça o Namorado Gay em 30 Dias.

Estão bombando também...