Que tipo de homem você está atraindo?

Encontro após encontro, a história é sempre a mesma?

Só cruzam o seu caminho caras que não querem nada mais que um sexo casual e uma cueca bem preenchida? Caras que te amam num dia, e não sabem nem o seu nome no outro? Ou gente enrolada demais para assumir um relacionamento?

Você bem tenta achar alguém legal, mas parece que o destino armou uma grande conspiração contra sua vida afetiva?

Será karma? Dedo podre? Imã de embuste?

Nada disso, meu amigo!

Só existe uma resposta aceitável para isso tudo. E ela é tão cruel quanto as suas últimas decepções amorosas…

Então, grave bem:

A qualidade das suas relações é proporcional à sua autoestima

É isso.

Você reclama que não conhece ninguém bacana, mas o que, de fato, você tem pra oferecer em troca a essa pessoa, além de um rostinho bonito?

E não me leve a mal.

Não estou dizendo aqui que você não vale mais do que um sexo rápido numa segunda-feira sem outras perspectivas.

Mas sim que você NÃO CONHECE o valor que tem.

E daí, meu bem… Isso é o mesmo que não valer nada.

Se nem você não reconhece o seu valor, ninguém fará por você.

E sabe do que mais?

Por trás da reclamação “só existe putaria no mundo gay” tem escondidas um monte de ideias e crenças que você, desde cedo, assumiu como certas.

Só que elas não passam de ciladas emocionais. E não servem para nada mais além de te fazer sofrer.

Eu explico:

Imagine um menino que não teve as suas necessidades afetivas bem atendidas na infância. Ou que tinha que lutar muito pelo amor e atenção os pais. Ou que presenciou muita briga, traição e desavença entre o casal.

Pois bem, ele pode crescer acreditando que amor significa conflito, dor, luta. Então, sem se dar conta, passa a atrair relacionamentos que reproduzem o que já aconteceu, exatamente para validar o pensamento de que amar é difícil.

E é assim que nós vamos criando os nossos próprios conceitos sobre a vida – e sobre nós mesmos.

“Ninguém se apaixonaria por mim”
“Eu sou desinteressante”
“Eu não sou bom o bastante”
“Não tenho sorte no amor”

Você já se viu dizendo alguma dessas frases?

Pois saiba que esses são todos pensamentos limitantes, que te sabotam antes mesmo de você tentar fazer algo a respeito.

Com o passar do tempo, essas ideias vão ficando tão fortes na sua mente que se transformam numa espécie de código.

Resultado? Você acaba se aproximando de pessoas que certamente vão estar de acordo com esse código e vão confirmar as suas regras internas.

Inclusive, Freud batizou esse comportamento como Teoria da Repetição.

De acordo com ela, inconscientemente, procuramos relacionamentos que nos lembram aqueles que nos despontaram no passado, numa tentativa de acreditar que na segunda (terceira, quarta ou quinta vez) dará certo.

É tudo irracional, você nem percebe o que está fazendo.

Você não sabe lidar com a felicidade. Então, escolhe o sofrimento que já conhece

Aliás, existe um processo na psicologia que alguns chamam de “busca inconsciente pelo sofrimento”.

“Mas por que alguém buscaria o sofrimento? Não faz sentido”, você pode estar pensando…

Eu sei que isso tudo parece muito louco. Mas, acredite: acontece com BASTANTE frequência.

Por mais irônico que possa soar, quanto mais rejeição uma pessoa sofre no passado, maior é a tendência de que ela fique “viciada” em ser rejeitada.

Isso porque essa foi a maneira distorcida que ela aprendeu a se relacionar e receber amor. Esse é o tipo de relacionamento que ela acredita merecer. Então, as suas emoções negativas buscam maneiras de se alimentar.

Daí o que acontece quando esse homem esbarra em alguém legal?

Simplesmente não se sente atraído por ele.

Provavelmente, vai dizer que não rolou química. Só que, na verdade, o que não rolou foi o sofrimento que ele tanto procura.

Faz sentido para você?

Isso te parece familiar?

[ALERTA!] Talvez você esteja agindo como um repelente de homens interessantes

Não tem jeito.

Só tem uma forma de você começar a atrair os caras certos. É você se tornar o cara certo.

Sei que é clichê, mas é a mais pura verdade.

Pode acreditar: pessoas que conhecem o seu valor, que se gostam, se respeitam e, principalmente, que acreditam que merecem ser amadas acabam atraindo um relacionamento que confirme exatamente isso.

Por isso, ao invés de entrar em desespero procurando macho, dedique-se a você.

Seja a sua melhor versão de você mesmo. E encontrar um cara bacana será uma consequência.

O que vem depois?

Já imaginou se alguém dissesse que é possível melhorar a autoestima, superar as armadilhas mentais e se tornar um homem altamente irresistível?

Pois é…

Preciso dizer para você que, sim, você pode atrair o cara que você quiser.

E não importa se você é gordo, magro, feio ou bonito…

Quer  saber como?

Descubra o IRRESISTÍVEL, primeiro programa do mercado brasileiro que ajuda você, homem gay, a desenvolver as suas habilidades sociais, ser mais carismático, autoconfiante e atraente.

São instruções diretas e fáceis de colocar em prática.

Ao aplicar essa sequência de atração irresistível em qualquer homem, você verá a rapidez com que ele te verá com outros olhos.

>>> Clique aqui e conheça o método IRRESISTÍVEL. <<<